11 de janeiro de 2016

Sentada na calçada

Esperei o nascer do sol para renovar a esperança
Fiquei sentada na calçada esperando abandonar a lembrança
Deitei mais cedo querendo secar a velha cobrança
Ainda não larguei a mania de querer ser criança

Fechei os olhos para ouvir a dança
Pulei sem parar para chegar na França
Sorri devagar para aproveitar lambança
Fechei a mão para prender a confiança

Rezei para a lua não marcar presença
Chorei quando a noite apareceu sem pedir licença
Emudeci quando sente as mãos da carência
Adormeci sentada na calçada suplicando a tua ausência    


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...