25 de junho de 2014

Viagem

Arrisco-me nessa viagem sem fim
com a vontade de desvelar marfim
sabendo das armadilhas feitas por mim

Arrisco-me nessa viagem que começa
com vontade de amar sem pressa 
querendo juras duvidar e promessas lançar.

Sem proteção, sem escudo e desarmada
sem lágrimas, medo e desamparada
vou bater as asas, soltando as palavras,

Arisco-me nessa aventura de barreiras
viajando contra a correnteza
desafiada pela incerteza do amanhã,

Sem direção por um destino sem caminho
Sentindo a nudez  nos meus olhos famintos
vou com objetos, trajetos e meu labirinto



5 de junho de 2014

Construir algo :)

Incomodado com tudo, com as inquietações constantes,
são gritos e transformações ambulantes
sem tranquilidade, tropeço nos brutamontes
os bobos e pobres jogadores arrogantes.

Mesmo sem querer incomodado permaneço
cansado de piadas, empurrões e tropeços
enfadado dos delírios, pesadelos e recomeços
junto minhas tralhas para sonhar sem adereços

Arrisco os passos no caminho mais travesso,
acompanhado de corações apaixonados
enfrento os brutamontes loucos sem medo.

De mãos dadas seguirei incomodado
com inquietações ambulantes
com transformações constantes
mas acompanhado
de sujeitos importantes
de sonhadores sorridentes
de pessoas com vontade de construir diferente

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...