24 de julho de 2012

Devaneios, escolhas e amor

Lágrimas são como gotas de orvalho ao amanhecer
que caem dos olhos quase sem querer
Melancolia divina que pede abrigo ao anoitecer
que como manto, aquece, envolve a razão de viver. 
O labirinto, confusão  que seduz os olhos e engana o coração
que disperta  alma para enlouquecer na escuridão.
Lamentar e se sentir perdido
faz parte dos devaneios e desafios.
Entre loucura, desejo, vingança e dor
toda escolha é sofrida
mesmo em nome do amor.

16 de julho de 2012

O que fazer

O que fazer quando estamos divididos ,quando a dúvida vira loucura e a solidão armadura ?
O que fazer quando o sim não é suficiente e o não é revelador ?
O que fazer quando a raiva reina e os pensamentos queimam ?
Não existem  respostas certas ou erradas, não há palavras ou frases adequadas
A vida não é livro de consulta, cada questão tem seu tempo e suas dúvidas.
Mas agora nem as perguntas importam
Só queremos encontrar as respostas para sermos idiotas
Não valorizamos, somos superficiais
Nos perdemos por fechar os olhos
Nos isolamos para  não sermos iguais.

                                                         imagem da net

10 de julho de 2012

Fiz de tudo

 O que é que eu faço para o tempo passar mais rápido
 para a distância não ser obstáculo  ?
 O que é que eu faço se coração não obedece a razão,
 se sei que cada sonho contigo é perdição ?
 Mas não ligo se tudo ter errado, vou acreditar no eu apaixonado.
 Na conquista de um sim, faço o que for para alcançar  seus braços 
 E mesmo com tantas dúvidas  vou continuar nos mesmos passos.
 E se o arrependimento surgi sei que fiz tudo para permanecer ao seu lado.



5 de julho de 2012

É mesmo triste

Como é triste ver alguém que mente só por prazer
E saber que essa alguém vive perto de você.
Como é triste ver alguém perdido no próprio labirinto que foi construído
E saber que o seu sofrimento passa das lágrimas e dos gritos .
Como é triste saber que alguém não da valor a uma amizade,um carinho e um beijo
Dóí saber que esse alguém existe que de várias formas no mundo sem respeito . 

2 de julho de 2012

De outras sei

Olavo Bilac
IX
De outras sei que se mostram menos frias,
Amando menos do que amar pareces.
Usam todas de lágrimas e preces:
Tu de acerbas risadas e ironias.
De modo tal minha atenção desvias,
Com tal perícia meu engano teces,
Que, se gelado o coração tivesses,
Certo, querida, mais ardor terias.
Olho-te: cega ao meu olhar te fazes ...
Falo-te — e com que fogo a voz levanto! —
Em vão... Finges-te surda às minhas frases...
Surda: e nem ouves meu amargo pranto!
Cega: e nem vês a nova dor que trazes
À dor antiga que doía tanto!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...